14 de outubro de 2010

xxxxxxx in red

Quando era "mais nova", qualquer pedacinho de linho ou atoalhado ou até pano de cozinha que me passasse pelas mãos dificilmente escapava sem umas boas dúzias de pontos de cruz, a maior parte das vezes em vermelho.Não sendo eu uma bordadeira exímia, como as que abundavam no Minho, o ponto de cruz, como dizem os espanhóis, "ia-me bem". Os motivos que escolhi vinham de marcadores antigos e de umas maravilhosas revistas japonesas que se vendiam em Braga, que a minha Mãe coleccionava, e que um dia mostro aqui. Algumas dessas peças ainda hoje andam a uso em minha casa. Só recentemente me recordei que foram bordadas por mim, e só ainda mais recentemente tive vontade de voltar a tentar.

9 de outubro de 2010